Doe agora

Ele faz Ciências Biológicas na Unicamp!!!

“Não fosse a Casa da Criança, eu não chegaria aonde estou”, afirma José Augusto, ex-educando

A mãe trabalhava o dia todo, então, quando José Augusto Aguiar da Silva Pereira ingressou no Ensino Fundamental, ela o inscreveu no Centro para Crianças e Adolescentes (CCA1) para que ali estivesse seguro e desenvolvesse suas potencialidades no período em que não estava na escola. Hoje, com 20 anos, o ex-educando da Casa da Criança e do Adolescente de Santo Amaro (CCASA) cursa Ciências Biológicas na Unicamp. “Não fosse a CCASA, eu não chegaria aonde estou”, afirma categoricamente o estudante universitário.

José Augusto conta que as atividades socioeducativas das quais participou dos 6 aos 15 anos no CCA1 foram essenciais para seu desenvolvimento emocional. “Eu era um garoto muito quieto, muito tímido, até inseguro. Envolver-me nas oficinas de teatro, de violão, ir aos passeios que nos eram oferecidos, interagir com os colegas e os educadores, tudo isso moldou a minha personalidade”, diz o jovem, que passava horas na biblioteca do CCA1. “Eu gostava de ajudar a Natália, que trabalhava lá, a catalogar os livros.”

O futuro cientista biológico estudou na EMEF Carlos de Andrade Rizzini durante todo o Ensino Fundamental, período em que frequentou o CCA1. Quando estava no 9º ano, teve a oportunidade de participar de um processo seletivo para uma bolsa integral no Colégio Santa Maria. Ele foi um dos dois contemplados à época para lá cursar o Ensino Médio. “Tive de participar de uma dinâmica no processo, e sem dúvida me saí bem por conta das oficinas que mencionei”, relata. Para a almejada vaga na Unicamp, José Augusto fez gratuitamente o cursinho da Poli. Hoje ele mora em Campinas de segunda a sexta-feira e passa os finais de semana com a mãe em São Paulo. Além de estudar, ele está em um projeto de iniciação científica ao qual dedica 10 horas por semana e recebe uma bolsa auxílio por conta disso. “Minha diversão hoje é ler artigos científicos, mas penso em trabalhar em uma empresa no futuro, não sei se sigo na área acadêmica”, diz.

A gente sonha e torce junto, José Augusto. Que sua trajetória continue próspera!